10 de set de 2012

Polêmica no Programa Fantástico

Olá queridos,
Estou morrendo de saudades do blog, mas ando trabalhando e estudando bastante!
Mas hoje consegui um tempo para voltar aqui e falar sobra uma reportagem que gerou bastante repercussão ontem à noite (09/09/2012), no programa Fantástico, da TV Globo. Eu estava no computador, e de repente comecei a receber vários protestos sobre o assunto. O que o pessoal mais reclamou foi o termo "curar a surdez", e então eu fui assistir o vídeo, que está disponível aqui, junto com o texto que é narrado no vídeo. Sugiro que os surdos que vão ler o texto depois assistam o vídeo, fica mais completo (infelizmente eles não disponibilizam com legendas). Como qualquer matéria sobre implante coclear, sempre há polêmica por parte da comunidade surda, porque a reportagem só mostra como algo positivo, não esclarece que a audição, com o implante, nem sempre é agradável ou clara, muitas vezes é assustadora, e muitas vezes não funciona. Isso mesmo, o implante coclear é para alguns tipos de surdez, não todas! (outra postagem nossa sobre o Implante Coclear pode ser acessada aqui)
A pequena Laís, retirando o implante.
Fonte: Site Fantástico.
Que tal mostrar pessoas surdas que são realizadas, estudam, trabalham, tem família, e usam a língua de sinais? Que não usam implante coclear e apreciam a arte, fotografam, brincam, lutam, sonham, como qualquer pessoa? Eu tenho inúmeros exemplos, podem falar comigo que eu indico, ok?
Algo que me chamou bastante a atenção foi o caso da menina Laís. Eu entendo muito bem a preocupação dos pais, querem proporcionar o que for melhor para menina, inclusive tentar a comunicação com ela em sinais, mas a criança não suporta ouvir através do implante. Não sabemos qual a qualidade do som ou o que ela realmente ouve com ele, mas ela demonstra que é bastante desconfortável.

Para a comunidade surda, a surdez não é uma doença que precise de cura, é uma diferença, por isso dizer "curar a surdez" só leva em conta a visão clínica sobre ela, e não a visão social, cultural, antropológica.
Claro que nem todo mundo sabe disso, mas acredito que profissionais como os jornalistas deveriam investigar melhor sobre aquilo que vão falar, pois podem contribuir para disseminar uma grande inverdade, iludir e ofender muitas pessoas!
Para quem quiser protestar, enviar uma mensagem sobre a matéria para o programa, existe uma maneira bem fácil de fazer isso. No próprio site do Fantástico existe um link "O que você achou do Fantástico deste domingo?". Você pode participar emitindo a sua opinião, acho um recurso bastante válido e certamente irei fazê-lo! Outra opção é a ferramenta fale conosco, do site, clicando aqui.

Gostaria de saber a opinião de vocês, leitores. O que acharam desta reportagem?
Abração!
Vanessa




5 comentários:

Anônimo disse...

Espero que as pessoas que comentem a matéria sejam realmente ouvidas pela direção do Fantástico. O assunto é muito extenso e complexo, precisaria de um especialista no assunto para esclarecer e tirar de vez o pre conceito existente na sociedade.
Viviane

Anônimo disse...

Olha eu tb vi, sou surda, e conheço surdos que tem IC, eles também não gostaram da matéria.Mal editada,demais e o Ic não cura surzez eles tem consciência disso.Tanto que a moça que chora não foi implnate foi outra coisa.
Deixo um texto de uma surda implnatada para vcs verem que até os que usam IC não gostaram.Sim surdo pode fazer tudo com IC ou não, ali estava mostrando uma nova teconologia que não adianta ignorar, mas o respeito deve sempre estar em primeiro lugar, na decisão do surdo.
http://desculpenaoouvi.laklobato.com/index.php/2012/09/09/materia-sobre-o-implante-coclear-no-fantastico/
Grazi

GEDI@NE disse...

Olá
Fiquem surpresa com seu email, pois tbm postei no meu blog minha decepção com o programa de ontem. E percebi que temos os mesmo ideais...
Segue trecho da postagem!


Estou aqui para notificá-los a polêmica no programa Fantástico da TV Globo de ontem (09/09/2012), ao assistir a matéria fiquei tremendamente inconformada com a forma como o assunto "Surdez" foi tratada pelo programa.

A matéria fala sobre Implante Coclear e seus benefícios para que os surdos possam ouvir, implantando um aparelho através de cirurgia. Para a comunidade ouvinte (ou leigos do assunto) e até mesmo para determinados médicos, a Surdez é considerada como algo que está "quebrado", "precisa de conserto", de "cura".

Não ficou claro para os teleespectadores que as pessoas surdas são livres, constituem famílias, trabalham, estudam (se formam em cursos de graduação e pós-graduação) que não usam implante coclear, usam a língua de sinais e são felizes. TV Globo/Fantástico que tal mostrar isso, heim ????.

O programa tentou mostrar o quanto o aparelho é eficaz, porém o que ficou bem claro foi o desaconforto que a pequena Laís sente ao ouvir pelo aparelho. Não sabemos a qualidade do som ou o que ela ouve, mas o fato é que a incomoda.

Profissionais envolvidos na matéria deveriam atentar-se as "falas" e pesquisar sobre o tema ou chamar profissionais da area para elaborar os textos, pois mesmo que sem intenção acabam por ofender uma comunidade e propagar ilusões e inverdades.



Surdez não é uma doença, não precisam de cura" e sim de respeito a diferença.



OBS: Entendemos perfeitamente a preocupação dos pais em relação a menina em proporcionar o bem a sua filha e não queremos aqui criticar a opção feita pelos pais.


"Maos que me entendem" - Grupo de estudo da LIBRAS

Gediane Tenório

Elias Fernandes disse...

Creio que o maior problema não é a reportagem e sim quem está por traz dela.

Alguem precisa ganhar muito dinheiro com o implante coclear e aparelhos auditivos.

Só isso!

Jeizebel disse...

Olá! Sou ouvinte e meu noivo é surdo. Segundos após a exibição no Fantástico fui expor minha indignação no Facebook.
Faltam, definitivamente, maior parofundamento quanto aos prós e contras do implante coclear. Eles mostratram com ose fosse algo, fácil, simples e gratuito. Se fosse tão simples assim, não existiriam mais surdos no mundo não é?! Amo conviver com surdos, amo Libras e admiro muito a desenvoltura que eles tem!
Jeizebel Melo