7 de jul de 2012

Sentir pra ver

Olá queridos,


Muitos leitores gostaram muito do post sobre acessibilidade no Castelo de Versailles, na França, que a Laura postou aqui. Hoje quero compartilhar com vocês uma experiência semelhante que tive no último sábado ao conhecer a Pinacoteca do Estado de São Paulo. Lá visitei a exposição "Sentir prá Ver: gêneros da pintura na Pinacoteca de São Paulo", que até o dia 15 de julho vai exibir 14 conjuntos de obras de arte acessíveis. São reproduções de pinturas do próprio acervo da biblioteca que foram transformadas em algo que se possa tocar, possibilitando que pessoas com baixa visão ou cegas possam "sentir prá ver", como diz o nome da exposição.
Se você é vidente, mas gostaria de viver esse outro jeito de ver a arte, é possível colocar vendas nos olhos, e tentar, primeiro, ver a obra com as mãos. A experiência é incrível. Além da reprodução tátil da obra, há também uma segunda reprodução, em relevo, e um texto em Língua Portuguesa e em braile que traz informações e descrição da obra. Você também pode colocar fones de ouvidos para ouvir o som que foi escolhido para compor aquela obra, ou até sentir o cheiro dela. Se preferir, pode seguir a visita com um poema relacionado a obra.



Eu participando da exposição



A exposição foi concebida segundo o padrão universal de acessibilidade, para que cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida também possam participar. As obras escolhidas ilustram os principais temas das artes plásticas, paisagem urbana, rural, marinha, retrato, abstração, natureza morta e cenas, abrangendo a arte brasileira do final do século XIX a meados do século XX, de artistas como Almeida Junior, Arnaldo Ferrari, Bete Worms, Di Cavalcanti, Carlos Scilar, Dario Barbosa, Gino Bruno, Pedro Alexandrino, Rebolo, Maurício Nogueira Lima, Leopoldo Raimo e Navarro da Costa entre outros.

"Sentir prá ver" é uma exposição realizada pelo Programa Educativo para Públicos Especiais (BEPE) que possui várias ações para que públicos com limitações físicas, intelectuais e sensoriais tenham acesso à arte, contando com visita guiada tátil para cegos e com uma educadora surda que apresenta a visita em Libras para os surdos. O telefone deste programa é (11) 3324-0945.

Aproveitem e visitem a exposição, se puderem. Agradeço, em especial, a minha amiga Sandra e sua mãe Maria que me levaram até lá.

Mais fotos desta visita, na nossa página no Facebook.

Nenhum comentário: