25 de mai de 2011

Oficina de LIBRAS na Escola

Olá pessoal!

 Quero compartilhar com vocês uma experiência muito legal que vivenciei semana passada, na escola regular onde leciono em Cachoeirinha/RS. Ofereci algumas oficinas básicas de LIBRAS para os alunos da escola que demonstraram interesse, entre 5ª e 8ª série do ensino fundamental, e gostei muito da experiência.
Além de poder falar um pouco sobre o que é a Libras, alfabeto e sinais de apresentação, lhes mostrei algumas obras de literatura surda, como Tibi e Joca, Adão e Eva, Patinho Surdo, Cinderela Surda, Rapunzel Surda, entre outros. 
Pelo jeito o pessoal curtiu!
Obrigada a todos os que compareceram.




23 de mai de 2011

Manifestação em Brasília sobre Educação de Surdos (19/05/2011)

Olá pessoal

Separei alguns materiais que quero compartilhar aqui no blog sobre a discussão que ocorreu esta semana em Brasília sobre a educação para Surdos, e aos poucos irei divulgando...

O Jornal da Globo Bom Dia Brasil do dia 19/05, trouxe a reportagem a seguir:

Edição do dia 19/05/2011
19/05/2011 08h52 - Atualizado em 19/05/2011 21h42

Brasília debate se surdos devem estudar em escola regular ou especial

O Ministério da Educação acha que eles devem estudar nas regulares.
Especialistas, educadores e os próprios estudantes preferem as especiais.

Nesta quinta-feira (19) tem um debate importante em Brasília - que vai definir o rumo da educação para os alunos surdos. Eles devem estudar em escolas regulares ou especiais?
O Ministério da Educação acha que eles devem estudar nas regulares, mas com algumas exceções. Especialistas, educadores e os próprios estudantes preferem as especiais.
Você deve se lembrar do quadro do ‘Fantástico’, o Jogo Falado, que revelava o que técnicos e jogadores de futebol não queriam que ninguém soubesse. João Gabriel era um dos estudantes surdos que fazia a leitura labial das conversas. Hoje, ele joga no time dos que defendem o direito dos surdos a uma educação básica só para eles.
O Brasil tem duas línguas oficiais, a dos ouvintes e a dos surdos, que é a chamada língua dos sinais. A comunidade dos surdos acredita que a formação básica dessas pessoas merece também um modelo especial de educação.
João Gabriel e outros alunos que falam em silêncio estudam em uma escola bilíngue, o Instituto Nacional de Educação de Surdos, no Rio. Uma tradutora explica o que o estudante está falando.
“A nossa primeira língua é a língua de sinais, e o português vem como segunda língua. É muito melhor quando a gente tem essa língua de sinais, que a gente consegue contextualizar os acontecimentos. Temos esse direito, merece essa comunicação”, diz.
A Universidade de São Paulo (USP) fez uma avaliação do desenvolvimento escolar dos surdos. Nove mil surdos de 6 a 25 anos fizeram prova em 15 estados, durante 11 anos. Os resultados mostram que as crianças surdas aprendem mais e melhor com professores e colegas que usam a língua de sinais, chamada também de libras.
“Se a criança for removida de sua comunidade escolar lingüística e colocar entre colegas que não a entendem, essa criança vai se embotar emocionalmente”, diz Fernando Capovilla, da USP.
Laura Pereira de Souza matriculou o filho em uma escola regular, mas não deu certo. O menino agora estuda no Instituto Nacional de Educação de Surdos (Inês).
“Diferença muito grande. Aqui é para surdo, deficiente auditivo, e a inclusão surdo. Eu, mãe falando, acho não vai dar certo”, opina Laura.
O MEC pretendia fechar a escola do Ines, referência nacional para os surdos. O ministério defende a inclusão de crianças surdas nas escolas regulares. Depois recuou em relação à escola do instituto, mas os outros colégios para surdos no país continuam ameaçados, segundo o vice-presidente da Feneis, Paulo Bulhões.
“Se fechar escolas básicas para educação especial vai ficar muito ruim”, aponta.
A atriz Marieta Severo também entrou na campanha nacional pela manutenção das escolas especiais para surdos.
“Minha irmã é deficiente auditiva, foi a minha primeira motivação. É muito importante que eles possam ter toda a capacidade deles de se desenvolverem, e não estarem dentro de uma sala em que não poderão ter todas as oportunidades de desenvolvimento”, diz a atriz.
Link para o vídeo:

- Acessar o vídeo (clique aqui)

14 de mai de 2011

Acessibilidade na WEB (1)

Olá pessoal!
Quanto mais busco informações sobre inclusão, mais eu me dou conta de quanta coisa eu ainda preciso aprender! Hoje comecei a minha pesquisa mais específica sobre acessibilidade via web, devido a meu projeto de doutorado. Percebo a cada momento como o mundo, seja real ou virtual, não é pensado para todos, exclui quando, na verdade, deveria incluir as pessoas, agregá-las, e proporcionar que todos possam participar ativamente da sociedade, de acordo com a sua livre escolha.
Como eu gostaria que este blogue também fosse acessível a todos! Espero que, com essa pesquisa, eu consiga isto, e desde já me coloco à disposição para receber todas as sugestões necessárias para conseguir transformá-lo em um site acessível a TODOS!
Encontrei alguns vídeos muito interessantes sobre a acessibilidade web, aquelas ferramentas que propiciam que qualquer pessoa consiga navegar livremente pela internet e fazer uso dela com qualidade, sejam pessoas com dificuldades visuais, motoras, intelectuais, auditivas, etc...
No vídeo abaixo, "Acessibilidade web: Custo ou Benefício", é possível encontrarmos alguns exemplos destes obstáculos que dificultam a acessibilidade de conteúdo na internet.

Se você conhece outros materiais sobre o tema ou quer comentar este post, mande-nos um comentário abaixo!
Abraços!
Vanessa

13 de mai de 2011

O que é acessibilidade? Vídeo do CONADE

Muito interessante o vídeo sobre o que é acessibilidade, produzido pelo Conade (Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência).
Conheça e siga esta ideia, afinal de contas, em algum momento da vida, todos vamos precisar dela!!!


Seminário Comunidade Surda: Docência e tradução.

Olá pessoal!
Repasso este convite para evento muito interessante na ULBRA/Canoas.

Seminário Comunidade Surda: Docência e tradução.
DATA: 21/05/2011


Apresentação: O seminário – “Comunidade Surda: Docência e tradução” vem colaborar com a comunidade em geral, fornecendo informações, esclarecimentos e pesquisas

em desenvolvimento sobre ensino e interpretação de Libras/Português.
Objetivo: Discutir a formação dos profissionais na área da educação de Surdos, como tradutor/intérprete de Língua de Sinais, professores de Surdos, professores em espaços inclusivos e outros que os cercam.
Coordenação: Prof. Vinicius Martins e Prof. Sandro Fonseca.
Intérprete de Libras: Equipe do Curso de Intérprete da ULBRA.
Inscrições: Gratuitas no local.
Horário: 8:30 as 16 horas.
Local do evento: Prédio 14 – Auditório 14B –
ULBRA/Canoas – Av. Farroupilha, 8001 - Bairro São Luís. Canoas/RS

Programação do evento:
“Importância da Escola de Surdos para estudantes Surdos” –
Prof. Simone Haack (Escola São Mateus/APADA/Sapiranga-RS)
“Diálogos entre Linguística da Enunciação e Interpretação de
Libras” – Prof. Mestranda Laura Kümmel Frydrych (UFRGS)
“Intérprete de Língua de Sinais e o Mercado de Trabalho.” –
Celeste Müller Ritt (Letras Libras – BEL/UFRGS)
“Intérprete de Língua de Sinais no Ensino Fundamental e Médio.” –
Prof. Vinicius Martins ( ULBRA/Feevale/ Letras Libras-BEL/UFRGS)
“Jovens Surdos: Movimentos Sociais e políticos” - Gustavo Lemos
(CEJOS/FENEIS-RS)
“Conhecendo a formação de Professore de Surdos e
Tradutor/Intérprete de Língua de Sinais” – Coord. de Cursos:
Vinicius Martins
“Aspectos Gramaticiais: Classificadores” – Prof. André Paixão
(ULBRA/UFRGS)
“Surdocego e a comunicação escolar” – Prof. Esp. e Ms. Vânia
Rosa (UNTREF)

Participe!

1 de mai de 2011

INPLA 2011 - Trabalhos sobre surdez, inclusão e línguas de sinais

Olá pessoal

Continuando a divulgar a programação do 18° INPLA - Intercâmbio de Pesquisa em Linguística Aplicada, agora eu selecionei os trabalhos que serão apresentados naquele evento, em junho (inclusive o meu, hehehe), para quem tiver interesse, se programar e acompanhar estes trabalhos. Por ordem cronológica:

Sessões de Comunicação
Quinta-feira, 23 de junho de 2011, 11:00 - 13:00
Sessão: Surdez 1
  • Avaliação de produção textual: desafios e consequências na educação de surdos - Andréia Gulielmin Didó UNISINOS
  • Aspectos da constituição subjetiva dos alunos surdos no processo de ensino e aprendizagem na escola pública regular  - Onilda Aparecida Gondim
  • A linguística aplicada no ensino de língua portuguesa para surdos -Márcio Arthur Moura Machado Pinheiro UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO
  • Procedimentos metodológicos de coleta, armazenamento e anotação de dados na língua brasileira de sinais e na língua portuguesa - Ronice Muller De Quadros UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Aline Nunes De Sousa UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Edgar Correa Veras UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Alan Luis Rodrigues UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

 
 Sexta-feira, 24 de junho de 2011, 18:40 - 20:40/
 Sessão: Inclusão social 1 
  • Práticas de ensino de língua portuguesa em contextos de inclusão educacional - Vanessa De Oliveira Dagostim Pires UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS
  • A formação do tradutor e intérprete de língua brasileira de sinais (LIBRAS) e língua portuguesa – âmbitos e suas  áreas, para especialização: a necessidade de um atendimento com qualidade
    Joel Barbosa Júnior UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    EMEF DR ANTÔNIO CARLOS DE ABREU SODRÉ
  • Ensino-aprendizagem de língua estrangeira em escolas inclusivas - Andréa Moreno Nicolaus PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
  • Ensino-aprendizagem de inglês para a terceira idade: acolhendo subjetividades - Carla Nunes Vieira Tavares UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA
    Bethania Martins Mariano UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA

Sexta-feira, 24 de junho de 2011, 18:40 - 20:40
Sessão: Surdez 2
  • O surdo nas aulas de espanhol com alunos ouvintes. “vai que é sua, professor.” - Elissandra Lourenço Perse
  • A linguística e a língua brasileira de sinais - Márcio Arthur Moura Machado Pinheiro UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO

Sábado, 25 de junho de 2011, 9:00 - 11:00
Sessão: Linguagem de sinais 1
  • Análise da formação e atuação de profissionais especialistas na área de Libras e educação de surdos: a especialização forma? que tipo de formação temos? - Vanessa Regina De Oliveira Martins UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
  • Investigando a sala de aula: interações entre alunos surdos, alunos ouvintes, professores ouvintes e intérpretes de libras - Investigando a sala de aula: interações entre alunos surdos, alunos ouvintes, professores ouvintes e intérpretes de libras  Luanda Cardoso Rampinelli UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA
  • Pistas marcantes na interpretação da língua de sinais brasileira entre pessoas de gêneros diferentes - Silvana Nicoloso UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Viviane Maria Heberle UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
  • Expansão terminológica em libras na área das ciências da natureza - Silvana Maria Dos Anjos Pires Brito INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO
    MARANHÃO
    Danielle Vanessa Costa Sousa CENTRO DE ENSINO E APOIO A PESSOA COM SURDEZ-CAS
  • Sábado, 25 de junho de 2011, 9:00 - 11:00
    Sessão: Linguagem de sinais 2
  • Transcrição da interpretação para libras: uma abordagem enunciativa - Laura Amaral Kümmel Frydrych UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
  • Desenvolvimento e uso de software idsinais para organização e busca de dados em corpus de libras - Janine Soares De Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Ramon Dutra Miranda UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Ronice Müller De Quadros UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Rundesth Sabóia Nobre UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
  • Aquisição da linguagem de crianças surdas implantadas - Karina Elis Christmann UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Ronice Muller De Quadros UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC
  • Marcas de formalidade/informalidade em textos traduzidos para Libras - Rodrigo Custódio Da Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Janine Soares De Oliveira UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
    Markus Johannes Weininger UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA