25 de ago de 2011

Surdos oralizados e o preconceito

Olá pessoal
Descobri dois blogs recentemente que me chamaram a atenção para os surdos oralizados. Nosso blog aborda predominantemente a questão voltada aos surdos sinalizados, àqueles que perderam a audição antes da aquisição da língua oral, e para os quais a língua de sinais será considerada a primeira, a natural. Entretanto, existem milhares de pessoas que perdem a audição depois dessa idade, e não estou falando apenas dos idosos, mas sim a indivíduos que, devido a diversos fatores - sequelas de enfermidades, síndromes, acidentes - perdem a audição depois que já conhecem a língua da maioria. Estes, muitas vezes, sofrem a falta da audição que já conheciam, a que já estavam acostumados, e à práticas culturais que possuíam, como ouvir música, conversar, ouvir sons familiares.
Fiquei pensando que, talvez, eu, que tantas vezes me choco com o preconceito e desconhecimento que as pessoas têm sobre a surdez e a língua de sinais, por não respeitarem seus direitos e ignorarem formas de acessibilidade a elas, também cometo um preconceito semelhante ao igualmente, não considerar suas dificuldades.
Fonte:http://fonodanischepi.blogspot.com/2010/09/deficiencia-auditiva.html 
Os blogs aos quais me refiro são Desculpe, não ouvi, de Lak Lobato, que perdeu a audição aos 10 anos de idade e hoje, depois dos 30, é implantada, e escreve no blog o relato de suas experiências nesse mundo de descobertas dos sons - recomendo este post, onde ela apresenta um depoimento que concedeu para o projeto Memórias que ficam, e relata a experiência de ter perdido a audição quando criança, e voltado a ouvir depois dos 30. Lindo!) O outro blog é o Crônicas da Surdez, de Paula Pfeifer, e o post onde ela fala sobre a falta de políticas de acessibilidade para os surdos oralizados está aqui.
Se defendemos um mundo em que TODOS tenham oportunidades, um mundo totalmente acessível, não podemos permitir nenhuma exclusão ou preconceito. Pensar a educação de surdos amplamente, considerando as diferenças e necessidades dos oralizados e dos que sinalizam, com o mesmo respeito e preocupação, é tarefa nossa.
E vocês, têm algum preconceito em relação aos surdos oralizados????

2 comentários:

Mariana Baierle Soares disse...

Oi Vanessa!
Aqui é a Mariana, te conheci em uma oficina que você deu ano passado na Semana de Letras da Ufrgs. Quero te parabenizar pelo blog, mto legal!!!
Gostei das dicas de blogs que vc passou também!
Eu tenho baixa visão e tb escrevo sobre acessibilidade bo meu blog! Vamos manter contato!
Grande bjo

soramires disse...

Gostei muito da postagem, porque deixa claro que na surdez existe diversidade e que ser oralizado ou sinalizado não significa oposição mas sim complementaridade das soluções que existem para superar a surdez.
Escrevo para o blog SULP - Surdos usuários da língua portuguesa - onde tratamos de questões como equipamentos auxiliares, legendas, etc
http://www.sulp-surdosusuariosdalinguaportuguesa.blogspot.com
Esperamos sua visita.