26 de set de 2008

Pensando sobre inclusão...


Tenho pensando muito ultimamente sobre o que realmente significa a palavra "Inclusão". Quando se trata de Educação de Surdos e Inclusão, logo os ânimos se alteram e quem é a favor se debanda para um lado e quem é contra, para o outro. Todos os lados têm suas justificativas muito bem embasadas. Mas quando pensamos em escola especial para surdos, dessas que eu já conheci e que você conhece, feita de gente, a palavra inclusão salta o tempo todo. Quem foi que disse que escola especial é o contrário da escola inclusiva?
Das escolas especiais que conheço, pelo menos meia dúzia, seja privada, estadual ou municipal, todas elas são muito inclusivas. Em todas elas haviam alunos surdos, que antes de surdos são humanos. E humanos são diversos.

As escolas especiais para surdos atendem alunos surdos, mas que, muitas vezes também tem outras dificuldades, ou, "diferenças": dificuldades de locomoção, hiperativos, com dificuldade de aprendizagem ou super-dotados; autistas, disléxicos; surdo-cegos; pobres e ricos; com famílias presentes ou órfãos e abandonados. Como qualquer escola. Por isso, a escola especial é altamente inclusiva, e, seus professores, não devem se prender ou voltar todas as suas atenções para a questão da surdez que atinge seus alunos (ou a si mesmo), mas a toda a complexidade que eles, como humanos, têm.

Às vezes nós, professores, esquecemos disso. Mas, basta a gente se olhar um pouco, ao querer mais justiça e compreensão do mundo sobre nossos próprios problemas, dificuldades, diferenças e necessidades que percebemos o quanto nossa visão sobre o outro precisa ser reformulada e ampliada constantemente

Falando em inclusão, sugiro um blog ótimo que eu encontrei: http://inclusaobrasil.blogspot.com/ Com diversos materiais, reportagens, artigos, vale a pena ser visitado sempre!
E um grande abraço para a dona dele, Marina S. Rodrigues Almeida! Parabéns, Marina!

Nenhum comentário: